HISTÓRIA FIRESTONE

Harvey S. Firestone deixou a fazenda em que nasceu, na pequena cidade de Columbiana, Ohio (EUA), para empreender em sua maior paixão: as corridas automobilísticas. No dia 3 de agosto de 1900, fundou a Firestone Tire & Rubber Company. Atualmente, com 118 anos de história e 95 de Brasil, a Firestone é uma multinacional com produção anual superior a 100 milhões de pneus e parte de um dos maiores conglomerados do mundo.

A chegada ao Brasil ocorreu em 1923. A Firestone veio para investir em um país que já estava apaixonado pela novidade do setor automotivo. Os cerca de 30 mil carros que já circulavam aqui confirmavam o fenômeno em que a empresa se transformara nos Estados Unidos e também na Europa. O primeiro escritório foi inaugurado em São Paulo e isso significava a aposta de uma jovem empresa, em franco desenvolvimento em um país que também começava a descobrir sua vocação industrial.

Quase um século se passou, e o que se confirma hoje é que o Brasil iria exigir muito mais do que simplesmente importar pneus de sua matriz norte-americana.

Em 1939, ano em que se iniciou a Segunda Guerra Mundial, foi decidido que o país precisaria implantar uma unidade nacional. A fábrica em Santo André, no ABC Paulista, foi construída em uma área coberta de 11.720 metros quadrados, com 333 funcionários e capacidade de produção de 12,3 mil pneus por mês. A partir de então, os negócios não pararam de crescer.

Em 1944, foram novos investimentos e um progressivo aumento de produção que conduziram a companhia a instalar junto à fábrica uma unidade de fiação e tecelagem. Já no ano de 51, Getúlio Vargas voltou ao poder e criou a Comissão de Desenvolvimento Industrial, medida que limitou peças importadas do setor e encorajou as montadoras automobilísticas a se instalarem no país. Isso ocasionou um desenvolvimento industrial ainda maior para a Firestone.

Por volta de 1954, a Firestone encontrou em Ituberá e Camamu, na Bahia, uma divisão de plantações para atender sua crescente demanda de borracha natural. E a ampliação prosseguia. Em abril de 1967, foi vulcanizado o primeiro pneu na unidade número dois da Firestone brasileira, no estado do Rio de Janeiro. O Brasil era, então, o único país fora dos Estados Unidos que recebia uma segunda unidade fabril - desativada em 1982, para que a produção se concentrasse na cidade de Santo André.

A Bridgestone comprou a Firestone em 1988 e manteve importantes investimentos na empresa que crescia exponencialmente. Hoje, depois de 95 anos de Firestone no Brasil, a fábrica continua instalada no mesmo endereço, sinônimo de tecnologia e inovação para continuar sendo grande fornecedora das maiores montadoras de automóveis do mundo.